Digital

A Rússia elabora dois casos contra o Google por não remover conteúdo banido

Rússia pode multar Google por vídeos sobre conflito contra a Ucrânia
O regulador de comunicações da Rússia na terça-feira disse que elaborou dois casos administrativos contra o Google da Alphabet Inc por não remover informações banidas de sua plataforma de compartilhamento de vídeo do YouTube, acusando-a de forma flagrante.

Roskomnadzor disse que o Google poderia ser multado a 8 milhões de rublos (US $ 91.533), ou até 20% da receita anual da empresa na Rússia para ofensas repetidas.

Ele disse que o YouTube se tornou uma das principais plataformas da “guerra da informação” contra a Rússia.

O Google não respondeu imediatamente a um pedido enviado por e-mail.

A Rússia restringiu o acesso ao roteiro e serviços do Instagram do Twitter e do Meta Plataformas, desde que enviemos tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro, como uma disputa fervente com os gigantes da U.S. Technology aumentou em uma batalha para controlar os fluxos de informação.

O YouTube, que bloqueou a mídia financiada pelo estado russo globalmente, está sob pressão pesada de Moscou, que no início deste mês o acusou de espalhar o que chamou de ameaças contra os cidadãos russos.

“A plataforma americana habilita abertamente a disseminação de conteúdo falso, contendo informações imprecisas publicamente significativas sobre o curso da operação militar especial na Ucrânia, desacreditando as forças armadas da Federação Russa, bem como informações de uma natureza extremista com a violência contra a violência Servicemen russos “, disse Roskomnadzor.

A Rússia na semana passada disse Meta era culpada de “atividade extremista”, algo que o advogado da empresa negou em uma corte de Moscou.

A Rússia lançou o que ele chama de uma operação especial na Ucrânia para degradar as capacidades militares de seus vizinhos e enraizar as pessoas que chamam de nacionalistas perigosos.

As forças ucranianas montavam resistência rígida e o oeste impôs sanções varreras na Rússia em resposta.